A crise sanitária e a tomada de decisões nas PMEs


 

Situações excepcionais exigem medidas excepcionais. Muitos já disseram isso, com algumas variações e aplicada a diversas situações. Ocorre que agora, com a crise sanitária global – desafio imposto a toda a humanidade, nunca foi tão precisa.

 

São desafios em todas as áreas do conhecimento, nas relações humanas e, claro, no mercado – com empresas se reinventando para dar sustentabilidade aos seus negócios. Muitas tendências estão se consolidando com mais velocidade; o que exige inédita e necessária rapidez na tomada de decisões.

 

As micro, pequenas e médias empresas têm desafios, mas também oportunidades. Elas podem, por exemplo ser mais ágeis, por questões estruturais, na tomada de decisões, ajustando seu negócio em termos de custos, marketing, infraestrutura etc Por outro lado, a gestão pode se ‘apegar’ a situações já consolidadas e não dar o passo decisivo – e no tempo certo – para a manutenção sustentável do negócio.

 

Quando dar esse passo? Essa é ‘a’ pergunta. Se o negócio está bem, o gestor tem dificuldade para mudar, e isso é perfeitamente compreensível. Porém, ser empreendedor exige avaliação de cenários futuros – e a possibilidade de correção de rotas de maneira ágil e assertiva. Nesse aspecto, sim, as PMEs podem se posicionar mais rapidamente, e, assim, reforçar sua posição de mercado.

 

Atualizar, buscar conhecimento, avaliar cenários, ser flexível, ter senso de urgência, tudo isso faz parte da rotina dos empreendedores das PMEs, e foram potencializados neste momento. Ainda vamos ter muitas mudanças de cenários nos próximos meses relacionadas à questão sanitária, com impactos diretos no mercado. Quem melhor ‘decifrar’ para onde vai seu mercado, quais as tendências do segmento do seu negócio, vai, sem dúvida, sair na frente no momento pós-crise.

 

De minha parte, vamos continuar comprometidos com a perenidade do nosso negócio, investindo em tecnologia, apresentando novas soluções e, sempre que necessário, revisando rotas. Tem sido esse o espírito que nos leva a atuar há mais de três décadas no segmento de Gestão Documental, atuando prioritariamente para atender empresas de grande porte nessa atividade que requer expertise e senso de responsabilidade.

 

Suely Dias dos Santos

CEO da Técnica Gestão Documental