2020, o ano que – mais do que nunca – as micro e pequenas empresas se reinventaram


São inúmeros e vastamente conhecidos os desafios ao empreendedorismo: burocracia excessiva, carga tributária alta e complexa, dificuldade de acesso a linhas de créditos, gestão financeira e de pessoas. Em 2020, adicione-se a crise sanitária global.

As micro e pequenas empresas cabiam se adequarem o mais rapidamente possível ao novo momento histórico para continuar. Muitas ficaram pelo caminho, porém mostrando a vitalidade, resiliência e capacidade de adaptação – pontos sempre muito positivos nesses negócios, muitas se reorganizaram e inovaram para garantir a manutenção e viabilidade econômica, como foi o caso da TÉCNICA, também uma empresa de pequeno porte. E isso pode ser reforçado com números: segundo levantamento do SEBRAE as vendas online já são realidade em 67% nas micro e pequenas empresas.

Também, por efeitos diversos, em 2020 devemos fechar o ano com o maior nível de empreendedorismo da história. O SEBRAE indica neste ano podemos ter até 25% da população adulta envolvida na abertura de um novo negócio ou com uma empresa com até 3,5 anos de atividade. Já dados do Ministério da Economia indica que somente no primeiro semestre o registro de microempreendedores individuais (MEI) cresceu 10,2% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Parte disso está relacionada, certamente, a falta de empregos formais; mas é importante observar que o dinamismo econômico faz parte da cultura nacional, e a busca por soluções criativas se impõe.

Agora que estamos encerrando esse ciclo, e esperamos um ano novo com a realidade da imunização e todo o benefício advindo do controle da pandemia, é mais do que necessário celebrar e saudar os empreendedores que, mesmo diante de cenários altamente complexos e desafiadores, continuam a dar um exemplo de dedicação e disposição para seguir em frente.

 

Suely Dias dos Santos

CEO da Técnica Gestão Documental